DF promete cumprir legislação e oferecer tratamento a pacientes com câncer em no máximo 60 dias

02:39 Geral, Notícias 21/04/2018 - 15h38 Brasília Embed

Dayana Vítor

Cerca de 300 pacientes com câncer no Distrito Federal estão na fila de radioterapia na rede pública da capital. Esses doentes, muitas vezes, têm que esperar mais de 60 dias para começar o tratamento. Mas o governo do DF promete que não haverá mais espera até o meio deste ano.

 

Segundo a Secretaria de Saúde, não há fila para quimioterapia, mas para outros serviços sim, como a primeira consulta e a radioterapia. No entanto, a pasta informa que o tratamento será agilizado com contratações de oncologistas para o Instituto Hospital de Base e da inauguração da Central de Quimioterapia do Hospital Regional de Taguatinga, que ocorreu nesta sexta-feira. O secretário da Pasta, Humberto Fonseca, explica.

 

Sonora: “Estamos concluindo a contratação de algumas clínicas privadas e teremos mais atendimentos no Hospital de Brasil e no Hospital Universitário de Brasília…. Até zerar a fila e cumprir com os 60% da legislação.”

 

Mas enquanto isso não ocorre, familiares reclamam da demora no atendimento oncológico. O pai de Brenno de Almeida, o aposentado Weiskival de Almeida foi diagnosticado há mais de um mês com câncer no fígado, problemas nos rins e pedras na vesícula. Brenno explica que uma consulta com o especialista ainda será marcada.

 

Sonora: “A gente pegou um encaminhamento para passar por um especialista, e é só em um mês que vamos nesse especialista. E só no próximo mês que conseguimos marcar uma consulta. Isso pra um tratamento que é urgente.”

 

A oncologista Rafaela Veloso explica que os 60 dias para o início do tratamento estabelecido em lei federal de 2012 é o máximo aceitável.

 

Sonora: “Teve o diagnóstico de câncer, reuniu os exames necessários para definir o subtipo e a extensão do problema? Então, é pra o mais rápido possível o tratamento, de preferência imediatamente. Levando o grau de dificuldade para reunir todos os exames, até 60 dias seria o limite máximo possível e aceitável para isso.”

 

O atendimento oncológico no DF é oferecido no Instituto Hospital de Base, no Hospital Regional de Taguatinga (Hran) e no Hospital Universitário de Brasília (HUB). Além disso, a Secretaria de Saúde tem convênio com os Hospitais particulares Sírio-Libanês, Santa Lúcia e Instituto de Radioterapia de Taguatinga para o tratamento dos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).