Viva Maria: Entenda a importância da licença-maternidade prolongada para a mãe, o bebê e a economia

08:17 Geral, Programetes 12/04/2018 - 09h59 Brasília Embed

Apresentação Mara Régia

Sob o signo da luz, Viva Maria saúda, neste 12 abril, as médicas e os médicos obstetras responsáveis por guiar o destino de quem vai nascer. Como as parteiras na floresta, muitas vezes esses profissionais “engravidam” junto com as mulheres no acompanhamento antes, durante e depois do parto.
 


Cá pra nós, quem dera que, de volta pra casa, mães e bebês pudessem contar com o mesmo apoio. Sim, porque para além do parto, a maternidade necessita de uma rede de cuidados que, muitas vezes, não cabe sequer nos 120 dias da licença-maternidade.

 

A propósito, a Comissão de Assuntos Sociais, (CAS) do Senado aprovou, na semana passada, o projeto de lei que amplia o prazo da licença-maternidade de 120 para 180 dias. A proposta segue agora para a Câmara dos Deputados. 

 

Como se sabe, a licença-maternidade é uma antiga reinvindicação das mulheres do Brasil desde os tempos da Constituinte. Lá se vão 40 anos! E, felizmente, hoje, está provado que o aumento da licença-maternidade é melhor para o país até  do ponto de vista econômico, pois os dados da Sociedade Brasileira de Pediatria mostram que bebês que ficam seis meses ao lado da mãe têm reduzidas as chances de contrair pneumonia, desenvolver anemia ou sofrer com crises de diarreia.

 

Natália Mori, do Centro Feminista de Estudos e Assessoria (Cfemea), conversa com a gente sobre o assunto. Natália, será que, finalmente, vamos conseguir licença-maternidade de 180 dias para todas as mulheres do Brasil?

 

 

Viva Maria: Programete que aborda assuntos ligados aos direitos das mulheres e outros aspectos da questão de gênero. É publicado de segunda a sexta-feira. Acesse aqui as edições anteriores.