Velado em São Paulo, Audálio Dantas denunciou assassinato de Vlado nos porões do DOI-Codi

01:34 Geral, Notícias 31/05/2018 - 15h29 São Paulo Embed

Nelson Lin

Começou no início da tarde desta quinta-feira (31), na sede do Sindicato dos Jornalistas, na região central de São Paulo, o velório do jornalista Audálio Dantas, ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo.


Ele morreu nessa quarta-feira (30), aos 88 anos, vítima de um câncer. A cremação será no Cemitério da Vila Alpina em horário ainda a ser definido.


Nascido em Tanque D'Arca, Alagoas, Audálio presidiu o sindicato entre 1975 e 1978. Foi um dos responsáveis pela oposição à ditadura militar, reforçando a denúncia da morte do jornalista Vladimir Herzog, um assassinato forjado pelos agentes da repressão, em 1975, nos porões do Doi-Codi.


Audálio Dantas também eleito deputado federal pelo MDB, em 1978.


Em mais de seis décadas dedicadas ao jornalismo, Audálio Dantas trabalhou nos principais veículos do país, como a revista O Cruzeiro, Veja e Quatro Rodas.


O jornalista foi autor de cinco livros, entre eles, “As Duas Guerras de Vlado”, publicado em 2012, que fala da saga da família de Herzog, desde a perseguição nazista até a perseguição na ditadura militar.


Ele também foi responsável por uma reportagem publicada na Folha de São Paulo sobre a descoberta da escritora negra de fama mundial Carolina de Jesus.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique