Brasileiros ensaiam o russo e mergulham na cultura do país que vai sediar o mundial

04:00 Geral, Notícias 13/06/2018 - 07h45 Brasília Embed

Danyele Soares

A canção já diz que “a taça do mundo é nossa e que com o brasileiro não há quem possa”! E para comprovar essa tese, pelo menos, 60 mil brasileiros vão para o outro lado do mundo, driblar quase 15 mil quilômetros de distância, para assistir à Copa do Mundo na Rússia.


Para alguns, a viagem será a realização de um sonho.

 

É o caso do jornalista Yusseff Abrahim, que mora no Rio de Janeiro. Ele sempre quis assistir ao maior evento de futebol do planeta fora do Brasil e, desde 2014 planeja a viagem para o Mundial deste ano.

 

De lá para cá, Yusseff conta que evitou desperdícios, definiu prioridades e comprou as passagens em promoção há dois anos. Ele vai passar um mês naquele país e agora, já na concentração, ensaia algumas palavras em russo, como “bom dia”.

 

A advogada Wanessa Rios que mora em Brasília já arrumou as malas para entrar em campo. Ela teve menos tempo para planejar a viagem: decidiu ir a Copa em janeiro.

 

Para isso, suou a camisa e juntou dinheiro. Ela vai assistir a pelo menos um jogo do Brasil e já está na torcida para que a seleção canarinho seja a primeira colocada no grupo “E” porque já tem o ingresso para um jogo das oitavas de final.

 

E para não cometer nenhuma falta ou levar cartão vermelho, Wanessa afirma que já pesquisou sobre os costumes russos, entre eles o que trata da proibição de ingerir bebidas alcoólicas em público. Mas para o idioma, a advogada vai se virar no bom e velho jeitinho brasileiro.

 

Wanessa já separou a camiseta do Brasil e acredita que a seleção vai levar o hexa. Já Yusseff diz que está na torcida, mas confessa que não vai se decepcionar se o Brasil não levar a taça.

 

E para nós que vamos ficar por aqui e assistir à Copa pela televisão, nos resta desejar boa viagem aos que vão e boa sorte ao Brasil.