Justiça proíbe superintendente do Incra em Santarém de citar nome de irmão deputado em eventos

01:54 Geral, Notícias 21/06/2018 - 20h50 Brasília Embed

Juliana Cézar Nunes

A Justiça Federal proibiu o superintendente do Incra em Santarém, Mário Sérgio Costa, de participar de eventos institucionais e citar o nome do irmão, o deputado federal Wladimir Costa, do Solidariedade.

 

Mário Sérgio e Wladimir são acusados pelo Ministério Público Federal de improbidade por supostamente transformar a superintendência do Incra em palanque eleitoral para a família.

 

O pedido de afastamento de Mário Sérgio do cargo chegou a ser feito pelos procuradores, mas não foi acolhido pela Justiça na decisão judicial expedida na última segunda-feira. O Ministério Público Eleitoral também investiga o deputado Wladimir Costa.

 

Estão sob análise dos promotores depoimentos e documentos que indicariam a distribuição de contratos de concessão para uso individual em áreas de titulação coletiva, o que fere as regras para assentamento de reforma agrária.


De acordo com a investigação, as visitas da família Costa aos assentamentos eram anunciadas em uma emissora de rádio ligada ao superintendente do Incra. Há suspeita de compra de votos mediante promessas de cestas básicas e doações. Carros do Incra teriam sido usados para promoção pessoal e política.

 

Além do afastamento imediato de Mário Sérgio Costa da superintendência do Incra em Santarém, o Ministério Público Federal defende a condenação dele e de Wladmir Costa por improbidade administrativa, com perda de cargos públicos e direitos políticos, bem como devolução dos valores supostamente desviados e pagamento de multa civil de até 100 vezes o valor da remuneração atual.

 

Procuramos as assessorias de Mário Sérgio e Wladimir Costa, mas até o fechamento desta edição não obtivemos retorno.