Racionamento de água termina depois de um ano e meio no Distrito Federal

03:02 Geral, Notícias 14/06/2018 - 13h51 Brasília Embed

Lucas Pordeus León

No último um ano e meio, a rotina da servidora pública Taís Sarellas foi parecida com a de muitos moradores do Distrito Federal: usar baldes e reservatórios para armazenar água e encontrar formas de reaproveitamento dessa água em casa.

Pois é, mas, a partir dessa sexta-feira (15), os moradores poderão ter um alívio. É que termina o racionamento de água no Distrito Federal. Mas não é para pensar que o consumo poderá ser livre de restrições não. A Caesb foi autorizada a reduzir a pressão da água, durante os horários de baixo consumo, para economizar e evitar desperdícios.


O governador Rodrigo Rollemberg afirmou que, com os investimentos feitos, Brasília terá água, pelo menos, pelos próximos 20 anos.

O governo investiu 519 milhões de reais em obras para aumentar a produção de água. Foram construídos sistemas de captação no ribeirão do Bananal e no Lago Paranoá. Ainda está em andamento a construção do reservatório de Corumbá, em Goiás, e de um sistema de captação no Gama. A expectativa do governo é que esses dois novos sistemas comecem a funcionar em dezembro deste ano.


O professor de engenharia ambiental, Oscar Cordeiro Neto, especialista em recursos hídridos, opina que os investimentos vão dar segurança hídrica pelos próximos anos, mas ressalta que algumas regiões do DF, como Sobradinho, Planaltina e Brazlândia estão fora desses sistemas e precisam de investimentos próprios.


O especialista também destacou o papel da população no racionamento. Houve uma redução de cerca de 12% no consumo de água de habitantes por dia. Atualmente, a barragem do Descoberto, a maior do Distrito Federal, opera com 93% da capacidade. Em novembro do ano passado, no auge da crise, a barragem chegou a 5% da capacidade.

Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.