Brasil tem 41 mil novos casos de câncer de pescoço e cabeça ao ano

05:30 Geral, Notícias 27/07/2018 - 12h02 Brasília Embed

Kariane Costa

Neste 27 de julho, Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço, especialistas buscam prevenir a doença que a cada ano atinge 41 mil pessoas, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca).


Confira a reportagem feita por Kariane Costa.


A voz robotizada é de Antonio de Arimateia Martins. Esta é a nova forma dele se comunicar com o mundo. Em 2005, descobriu um câncer nas pregas vocais.

 

Na época, após ficar dois meses com a voz rouca, Antonio Arimateia procurou um médico. O então motorista de ônibus levou um susto ao ser diagnosticado com o tumor, consequência dos dez cigarros que fumava, por dia, durante 15 anos.


O caminho até a cura foi longo: as cinco cirurgias, em 13 anos, provocaram a perda da voz. Atualmente, aos 53 anos de idade, Atimateia teve que reaprender a falar.


A opção que restou foi a laringe eletrônica, um vibrador externo que é colocado no pescoço do paciente.


Ao entrar em contato com ar da garganta, o aparelho produz o som a partir da articulação dos lábios.


A fonoaudióloga Cristina Fúria, que também é professora da Universidade de Brasília (UnB), explica como funciona o aparelho.


A cada ano, 41 mil novos casos de câncer de cabeça e pescoço surgem no Brasil, segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer.


A doença atinge mais os homens acima de 50 anos. Mas o número de casos  em  mulheres tem crescido nas últimas décadas.


Entre os fatores de risco apontados pelos especialistas estão o fumo, o alcoolismo e, também, o vírus HPV.


O chefe do Serviço de Cabeça e Pescoço do Hospital Universitário de Brasília (HUB), Luiz Augusto Nascimento, conta como aparecem os primeiros sintomas da doença e faz um alerta para que se busque um profissional, logo no aparecimento desses primeiros sinais.


Se o tumor for identificado precocemente a chance de cura pode chegar a 90%. O tratamento pode ser realizado na rede pública de saúde.


O médico reforça que o diagnóstico precoce e o tratamento rápido são fundamentais para a cura do câncer de cabeça e pescoço. Mas admite que existe dificuldade para o diagnóstico e o tratamento com especialista do SUS.


Recentemente, o Ministério da Saúde abriu consulta pública para saber se inclui a laringe eletrônica  na tabela do SUS.


A fonoaudióloga Cristina Fúria diz que os especialistas e pacientes estão ansiosos pelo resultado, pois o aparelho tem se mostrado eficaz para a rápida recuperação da comunicação daqueles que perderam a voz, vitimas de câncer de laringe .


E o paciente Antonio de Arimateia Martins, aquele do começo da reportagem, diz que ao perder a voz perdeu a identidade, mas se reinventou. Uma dupla superação, já que também conseguiu vencer o câncer.


27 de julho é o Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de cabeça e pescoço. Para incentivar essa ação, a proposta é usar a cor verde e a hashtag #julhoverde com ações na internet, redes sociais e nas ruas.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique