Especialista e Ministério da Saúde esclarecem sobre bactéria resistente aos antibióticos

02:22 Geral, Notícias 19/07/2018 - 18h13 Brasília Embed

Samanta do Carmo

A bactéria microplasma genitalium está preocupando a Associação Britânica de Saúde Sexual, que na semana passada emitiu recomendações para os médicos ingleses sobre como proceder diante das contaminações por este microrganismo, que é transmitido sexualmente.

 

O documento causou preocupação no Brasil, porque destaca a possibilidade da Microplasma Genitalium se tornar uma superbactéria em dez anos, já que ela está se mostrando resistente aos antibióticos mais comuns.

 

O professor Luiz Kanzaki, do Departamento de Farmácia da Universidade de Brasília, comenta que a bactéria é conhecida dos pesquisadores e que existe tecnologia suficiente para o diagnóstico.

 

Kanzaki também comenta que como as pessoas estão tendo mais variedade de parceiros sexuais, aumenta a probabilidade de mais indivíduos desenvolverem a doença. Por isso a importância de manter relações sexuais com preservativo.

 

Outro problema é o uso indiscriminado de antibióticos. Mesmo assim, o professor menciona que novos medicamentos estão em estudo.

 

Segundo o Ministério da Saúde, pesquisas mostram que no Brasil esta bactéria é menos recorrente do que microrganismos do gênero, como o que causa a gonorreia.

 

E que o crescimento dos casos de resistência ocorre principalmente na Europa. Apesar disso, desde 2017, um estudo de monitoramento está sendo feito em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina