Polícia Federal prende no Rio empresário ligado à corretora de valores

02:11 Geral, Notícias 10/08/2018 - 18h05 Rio de Janeiro Embed

Lígia Souto

A Polícia Federal prendeu, nesta sexta-feira, o empresário João Paulo Júlio de Pinho Lopes, sócio de uma corretora de valores carioca. Ele foi citado nas colaborações premiadas de Luiz Carlos Velloso, ex-subsecretário de Transportes do governo de Sérgio Cabral, e dos doleiros Vinícius Claret, conhecido como Juca, e Claudio Fernando de Souza, o Tony.

 

Segundo pedido de prisão feito pelo Ministério Público Federal ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, a empresa de João Paulo teria sido utilizada para possibilitar pagamentos de propinas a empreiteiras que tinham contratos com o estado. O pedido, aceito por Bretas, foi subscrito por 11 procuradores, que fazem parte da força-tarefa da Lava Jato no Rio.

 

O procurador da República Sérgio Pinel reforçou que a corretora operava como uma espécie de banco.

 

No documento, os procuradores apontam os motivos pelo deferimento de medidas cautelares contra João Paulo. Eles disseram que há prova da existência de materialidade e indícios suficientes de autoria dos crimes de lavagem de dinheiro, tendo em vista que  permanecem sendo ocultados os recursos ilícitos do ex-subsecretário de Transportes do Rio de Janeiro  e de outros agentes públicos a ele relacionados.

 

O MPF justifica o pedido de prisão preventiva para garantir a ordem pública, conveniência da instrução criminal e assegurar a aplicação da lei.

Deseja fazer algum tipo de manifestação?

Favor copiar o link do conteúdo ao apresentar sua sugestão, elogio, denúncia, reclamação ou solicitação.