Comitê do setor elétrico avalia hoje fornecimento de energia para Roraima

02:52 Geral, Notícias 26/09/2018 - 12h39 Brasília Embed

Renata Martins

Governo federal avalia questão energética em Roraima e pode suspender o uso da energia fornecida pela Venezuela de forma definitiva.

 

Desde de 16 de setembro, a Eletrobras Roraima opera exclusivamente com energia gerada pelo parque térmico local – formado por quatro usinas principais. A distribuidora informou que a decisão de suspender o fornecimento de energia elétrica proveniente da Venezuela foi determinada pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, do Ministério de Minas e Energia.

 

O motivo seria a instabilidade e a precariedade do envio da energia venezuelana, o que causava frequentes desligamentos no sistema da Eletrobras Distribuição Roraima.

 

De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), do início do ano até setembro. foram registrados 65 blecautes em Roraima, 34 somente no último mês.

 

Nesta quarta-feira (26), o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico vai analisar os resultados do fornecimento de energia pelas termelétricas e avaliar se esse atendimento deve ser permanente.

 

Segundo a Eletrobras, o custo do uso das termoelétricas será subsidiado pela Conta de Consumo de Combustíveis. O encargo foi criado para subsidiar a geração em áreas de Sistemas Isolados, que é o caso de Roraima. A Aneel explica que o valor é rateado entre todos os consumidores do país que estão em áreas integradas, responsáveis por cerca de 99% do consumo de energia. A agência afirma que já foram reservados R$ 406 milhões para a substituição da energia venezuelana por geração termelétrica.

 

Em nota, a Secretaria de Comunicação Social do Governo de Roraima afirmou que é necessário que a linha de transmissão da energia produzida na Hidrelétrica de Tucuruí, na Bacia do Rio Amazonas, chegue até Roraima. O projeto é conhecido como “Linhão”.

 

O governo estadual destacou ainda que a energia venezuelana é estratégica para Roraima, pois a produção vinda das termelétricas locais é cinco vezes mais cara.

 

A nota lembra também que, na última sexta-feira (21), o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, garantiu ao governo roraimense que em um mês fará a manutenção da linha de transmissão, melhorando o fornecimento da energia que vem do país vizinho. O objetivo seria solucionar o problema dos apagões.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique