Corpo de acadêmico Hélio Jaguaribe é enterrado no Rio

03:00 Geral, Notícias 12/09/2018 - 19h10 Rio de Janeiro Embed

Tatiana Alves

O corpo do acadêmico Hélio Jaguaribe foi enterrado no Mausoléu da Academia Brasileira de Letras, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul do Rio.

 

Sob um clima de forte comoção, o cortejo foi acompanhado por dezenas de pessoas. O velório aocnteceu durante toda a manhã na sede da ABL, no centro da cidade, ONDE familiares, amigos e colegas de profissão se despediram do imortal.

 

O jurista, sociólogo e escritor nascido no Rio de Janeiro ocupava desde 2005 a cadeira número 11 da ABL, que também pertenceu a Celso Furtado e Darcy Ribeiro.

 

Para o presidente da academia Brasileira de Letras, Marcos Luchesi, o maior legado na obra do escritor é a atemporalidade das suas publicações.

 

Um dos filhos do acadêmico, o diplomata Roberto Jaguaribe, destacou a generosidade, energia e dedicação do pai para construir um país mais equilibrado.

 

Hélio Jaguaribe morreu na noite de domingo em sua casa em Copacabana , zona sul da capital fluminense, aos noventa e cinco anos, de falência múltipla dos órgãos.

 

Foi eleito para integrar a academia pela contribuição ao desenvolvimento do Brasil nas áreas de Cultura, Ciências Sociais e Relações Internacionais. As obras mais conhecidas são os livros “A dependência político-econômica da América Latina” e “Um estudo crítico da história”, sobre globalização e perspectivas para o século XXI.

 

Hélio Jaguaribe chegou a lecionar nos Estados Unidos na década de sessenta, após condenar publicamente o Golpe Militar no Brasil. Ele deu aulas na Universidade de Harvard, na Universidade de Stanford e no Instituto de Tecnologia de Massachusets. Ele deixa esposa e cinco filhos.