Após estupro, visitas de crianças a presídio no Ceará são suspensas

01:34 Geral, Notícias 15/10/2018 - 20h52 Fortaleza Embed

Edwirges Nogueira

A Sejus, Secretaria da Justiça e Cidadania do Ceará, decidiu suspender todas as visitas de crianças a internos que respondem por crimes sexuais no Cepis, Centro de Execução Penal e Integração Social Vasco Damasceno Weyne, em Itaitinga, região metropolitana de Fortaleza. A proibição acontece após uma menina de onze anos ser estuprada no último sábado dentro da unidade.

 

O estupro aconteceu durante o período de visita. A menina estava acompanhada da mãe em visita ao pai quando outro interno, que cumpre pena por crime sexual, a abordou e levou para um local afastado, onde cometeu o abuso.

 

Segundo a Sejus, a Lei de Execução Penal garante a visita de filhos e netos de internos. Em nota, a secretaria informa que esses momentos sempre transcorreram normalmente. As crianças são cadastradas no Núcleo de Cadastro de Visitantes e acompanhadas pelos responsáveis legais.

 

O Cepis é a maior unidade prisional do Ceará e foi inaugurado em novembro de 2016. Atualmente, o espaço está superlotado: a capacidade é de mil e dezesseis internos, mas estão presos mais de dois mil, segundo dados de agosto da Secretaria.

 

A Delegacia Metropolitana de Itaitinga está a cargo do caso e o interno acusado de cometer o estupro ficará em isolamento até a conclusão das investigações.