Departamento de Recursos Minerais considera tragédia em Niterói de difícil previsibilidade

02:41 Geral, Notícias 13/11/2018 - 14h11 Rio de Janeiro Embed

Raquel Júnia

Uma nota técnica do Departamento de Recursos Minerais do estado do Rio divulgada nesta segunda-feira classificou a ruptura do maciço em Niterói que resultou na morte de 15 pessoas como sendo de difícil previsibilidade.

 

De acordo com a nota, no local, foi constatada uma combinação de fraturas na rocha com infiltrações no solo e a pressão da água de chuvas anteriores.

 

Os técnicos do departamento verificaram que houve uma ruptura na porção de solo que suportava a rocha. Aproximadamente 20 mil toneladas de material se desprenderam. O departamento orienta que a Defesa Civil de Niterói mantenha a interdição das moradias do entorno até uma nova avaliação e monitore a evolução de trincas existentes e o aparecimento de novas rachaduras.

 

17 casas estão interditadas na comunidade da Boa Esperança, na região oceânica de Niterói. A prefeitura apresentou também nesta segunda-feira, os resultados preliminares de um estudo técnico que já havia sido encomendado pela prefeitura a uma empresa privada e que abrange todo o município.

 

De acordo com a avaliação, esse ponto da comunidade da Boa Esperança foi classificado como sendo de médio risco.

 

A Sociedade Brasileira de Geologia divulgou nesta terça-feira uma nota chamando a atenção para a redução de investimentos nos órgãos responsáveis pelo monitoramento de áreas de risco depois da importante reestruturação desses setores diante da tragédia do Bumba, também em Niteroi, em 2010, que resultou na morte de 105 pessoas.

 

A nota afirma que o mapeamento de risco deve ser atualizado a cada ano devido à dinâmica das populações. O texto finaliza chamando a atenção para a falta de políticas públicas de moradia, que faz com que as pessoas ocupem áreas inadequadas.

 

A Câmara Municipal de Niteroi aprovou nesta terça-feira um projeto de lei enviado pela prefeitura que estabelece o pagamento de um benefício de R$ 1.002 mensais para as famílias vítimas da tragédia pelo prazo de um ano.

 

As 22 famílias afetadas devem receber também no dia 20 de dezembro uma unidade habitacional em um conjunto destinado a famílias de baixa renda que já está sendo finalizado no bairro do Fonseca, na zona norte da cidade, distante cerca de 20 quilômetros do antigo local de moradia.

 

Dois moradores da comunidade da Boa Esperança continuam internados em hospitais de Niterói e São Gonçalo, segundo a secretaria de saúde, eles permanecem estáveis.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique