Agentes de saúde reforçam atendimento a imigrantes na rodoviária de Manaus

01:48 Geral, Notícias 13/12/2018 - 18h03 Brasília Embed

Juliana Cézar Nunes

Cerca de 130 venezuelanos vivem acampados atualmente na rodoviária de Manaus. A Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania ofereceu esta semana vagas em abrigo coletivo para 13 pessoas do grupo, com prioridade para mulheres e crianças.

 

A oferta não foi aceita. Os imigrantes pedem recursos para aluguel de imóvel ou abrigo com acomodações individuais até que os pedidos de refúgio sejam avaliados.


 
A recusa ao abrigamento coletivo aumenta a preocupação da prefeitura de Manaus, que intensificou as ações de saúde no acampamento da rodoviária.

 

A gerente municipal de migração e refúgio, Maria José Ramos, afirma que os agentes de saúde estiveram no local nesta quinta-feira (13) para oferecer imunização e atendimento de saúde básico.


 
Os principais problemas de saúde enfrentados pelos imigrantes venezuelanos em Manaus são doenças respiratórias e de pele. Os agentes de saúde acreditam que as condições precárias de alojamento na rodoviária contribuem para este quadro.

 

A situação dos indígenas da etnia Warao é a que mais preocupa por causa da baixa imunidade. A prefeitura, o governo do Amazonas e o Acnur, Alto Comissariado das Nações Unidas, buscam uma solução definitiva para o caso.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique