Bolsonaro diz que ninguém recebe ou dá dinheiro sujo com cheque nominal

02:55 Geral, Notícias 09/12/2018 - 11h31 Rio de Janeiro Embed

Lígia Souto

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, negou qualquer irregularidade nos depósitos realizados pelo seu ex-assessor, Fabrício José de Queiroz, em conta bancária da futura primeira-dama Michelle Bolsonaro.

 

Após acompanhar cerimônia de formatura na Escola Naval, no Rio de Janeiro, Bolsonaro voltou a dizer que o valor, apontado em relatório do Coaf - Conselho de Controle de Atividades Financeiras, se refere à quitação de uma dívida pessoal.

 

O presidente eleito contou que emprestou a Queiroz R$ 40 mil, garantidos por ele em 10 cheques de R$ 4 mil cada.

 

Ainda de acordo com o presidente eleito, o dinheiro foi depositado na conta da esposa por "questão de mobilidade", em razão da sua rotina de trabalho.

 

Bolsonaro lamentou o constrangimento, disse que Fabrício é seu amigo há 34 anos, e que espera que o ex-assessor se explique junto ao Ministério Público Federal.

 

Na sua avaliação, a divulgação do relatório do Coaf pela imprensa foi feita por advogados de parlamentares presos na Operação Furna da Onça, que apura irregularidades envolvendo a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). E ressaltou que seu filho, deputado estadual Flávio Bolsonaro, eleito senador, não está entre os alvos dessa operação.

 

Bolsonaro também falou sobre seu estado de saúde e informou que passará por nova avaliação médica no hospital Albert Einstein, em São Paulo, na próxima quinta-feira, quando deverá ser definida a data da cirurgia para a retirada da bolsa de colostomia.

 

A operação do presidente eleito estava marcada inicialmente para o dia 12 de dezembro, mas foi adiada após uma série de exames.

 

Ele contou que prefere passar pelo procedimento o quanto antes para não se ausentar do trabalho após a posse, no dia primeiro de janeiro.

 

Bolsonaro falou mais uma vez sobre as razões que o levaram a suspender a agenda de sexta-feira (07). Repetiu que foi uma recomendação médica, após vários dias de compromissos intensos, sem tempo para descanso.

 

Apesar da ordem médica, ele revelou que iria à formatura de militares em Pirassununga, no interior de São Paulo, mas confundiu as medicações e acabou tomando um remédio que o fez dormir, e perder o compromisso.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique