Justiça do Rio determina redução da tarifa de ônibus intermunicipal

02:36 Geral, Notícias 13/12/2018 - 16h30 Rio de Janeiro Embed

Raquel Júnia

O estado do Rio tem 60 dias para revisar as tarifas de ônibus das linhas intermunicipais de forma a devolver os 0,27 centavos cobrados dos passageiros desde 2017.

 

A decisão é do juiz, Wladimir Hungria, da 5ª Vara da Fazenda Pública do Rio.

 

A nova tarifa que entrará em vigor deve prever o ressarcimento dos valores que a Justiça entende que foram cobrados de forma irregular no prazo de um ano.

 

O juiz afirmou que o reajuste foi uma forma de regularizar o pagamento de propina ao ex governador do Rio, Sérgio Cabral, com a participação de agentes do Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio, o Detro, responsável por estipular o valor da tarifa, e de conselheiros da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio, a Fetranspor.

 

Segundo as investigações do Ministério Público, o valor total dos danos aos cofres públicos está estimado em mais de R$ 505 milhões.

 

Na decisão em caráter liminar, o juiz destacou também que a população foi sacrificada para bancar o esquema desde 2008.

 

Dessa forma, as empresas aumentaram os lucros e pagaram propinas aos agentes públicos e privados.

 

Entre os acusados estão o ex-governador Sérgio Cabral, os conselheiros da Fetranspor José Carlos Reis Lavouras, Jacob Barata Filho e Lélis Teixeira, além dos ex-presidentes do Detro-RJ Rogério Onofre e Alcino Carvalho.


 
A Justiça determinou ainda o bloqueio de R$ 179 milhões que seriam repassados à Fetranspor pelo governo do Estado na rubrica de restos à pagar e a suspensão de todos os repasses financeiros para o custeio das gratuidades sem que haja uma auditoria das contas.


 
Em nota, a Fetranspor informou que vai recorrer da decisão por entender que a liminar representa uma visão parcial do processo tarifário.

 

A nota diz também que os reajustes feitos entre 2010 e 2017 foram com base no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação, por determinação do próprio Ministerio Publico.

 

No texto, a Fetranspor defende ainda o uso de uma planilha tarifária diferente, que refletiria melhor os custos da operação.

 


Também contatado, o Detro informou apenas que foi notificado na tarde desta quarta-feira e que vai avaliar a decisão.

 

A Secretaria Estadual de Transportes não respondeu até o fechamento desta reportagem.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique