Vigilância Sanitária de Goiás fecha farmácia de João de Deus em Abadiânia

01:30 Geral, Notícias 24/12/2018 - 15h32 Brasília Embed

Lucas Pordeus León

A Vigilância Sanitária de Goiás fechou o laboratório que funcionava na farmácia da Casa Dom Inácio de Loyola, em Abadiânia, onde o médium João Teixeira de Faria, mais conhecido como João de Deus, realizava atendimentos.

 

Segundo os técnicos da vigilância, no local eram fabricados medicamentos em escala industrial, sem autorização.

 

A farmácia possuía alvará para manipulação e comercialização de fitoterápicos, mas não para produção em escala industrial, como estava ocorrendo.

 

Houve coleta de medicamentos e de água mineral vendida como fluidificada.

 

Os produtos foram encaminhados a laboratório e o resultado da perícia deve sair em 15 ou 30 dias.

 

Segundo a força-tarefa do Ministério Público, a interdição menciona manipulações contrárias às normas sanitárias e más condições no armazenamento de instrumento cirúrgico.

 

A força-tarefa montada para apurar as denúncias contra João de Deus registrou, até o momento, mais de 500 denúncias sobre 255 possíveis vítimas. 23 mulheres tinham entre 9 e 14 anos quando dizem ter sido abusadas e 28 tinham entre 15 e 18 anos.
Os procuradores citam três tipos de crime: estupro, violência sexual mediante fraude e estupro de vulnerável, no caso de menores de 14 anos.

 

O médium João de Deus nega todas as acusações. Ele está preso preventivamente desde o dia 16 de dezembro.
 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique