Ceará ganhará reforço de policiais da reserva, PRF e Força de Segurança para conter ataques

03:10 Geral, Notícias 14/01/2019 - 16h59 Brasília Embed

Dayana Vítor

Para reforçar a segurança no Ceará, que enfrenta uma onda de violência desde o início deste mês, agentes da Polícia Rodoviária Federal vão se juntar, nos próximos dias, aos 70 que já estão no estado, para coibir ações criminosas nas rodovias.

 

Além deles, o governo cearense aguarda mais 87 homens da Força Nacional de Segurança Pública para reforçar o patrulhamento das ruas. O estado já conta com 413 agentes da Força.

 

Desde o começo de janeiro, as ruas de todas as cidades cearenses estão com reforço de 29 mil policiais do estado, cem policiais militares da Bahia, 23 do Piauí, Santa Catarina e São Paulo.

 

Outros de Pernambuco deverão chegar nos próximos dias. Mesmo com todo esse reforço na segurança, no domingo, houve a tentativa de explosão de uma bomba em um viaduto do bairro Bonsucesso, em Fortaleza. Até então, 358 pessoas envolvidas com os atos violentos já tinham sido presas, segundo o governo estadual.

 

A dona de casa, Marta Medeiros, moradora do bairro Bonsucesso, já viu alguns atos criminosos no local onde mora. Ela detalha um deles.

 

Sonora: “Uma hora da manhã passaram na porta, tinha um carro parado na porta do vizinho. Eles tacaram fogo no carro. A fumaça entrou em casa, eu me acordei com a garanta ardendo. E se os bombeiros não chegam logo, não sei o que poderia ter acontecido. A labareda foi alta, tinha fio de alta tensão...”

 

Além das prisões, o governador Camilo Santana sancionou um pacote de medidas para conter a onda de violência. Entre elas, a convocação dos policiais militares da reserva para voltarem às ruas, aumento do pagamento das horas extras dos policias, uma recompensa financeira para os cidadãos que fornecerem informações sobre os criminosos que realizam os ataques, entre outras medidas. Em uma rede social, Santana também garantiu reforço de agentes nas penitenciárias.

 

Sonora: “Acabo de autorizar a convocação imediata de mais 220 agentes penitenciários para atuar no sistema do estado, além dos outros 220 que já havia convocado na semana passada.”

 

Segundo as investigações do governo do Ceará, as ordens dos ataques partem de dentro das cadeias. Por isso, 35 presidiários estaduais foram transferidos para penitenciárias federais.

 

Eles começaram os ataques devido às medidas do atual secretário de Administração Penitenciária, Luís Mauro Albuquerque que serão implementadas dentro do sistema prisional. Entre elas, a proibição de entrada de celulares nos presídios e a separação dos criminosos nas cadeias, de acordo com a facção que pertencem.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique