Central de Medicamentos do Amazonas volta a distribuir remédios para unidades de saúde do estado

02:09 Geral, Notícias 12/02/2019 - 12h51 Brasília Embed

Juliana Cézar Nunes

As unidades de saúde do Amazonas começaram o ano com os estoques de medicamento em situação crítica. As farmácias que entregam remédios de alto custo ficaram com as prateleiras vazias.

 

A dívida da Secretaria Estadual de Saúde chegou a R$ 30 milhões e os fornecedores se recusaram a manter o abastecimento.

 

A situação começou a ser resolvida este mês com a liberação para empenho de cerca de R$ 90 milhões por parte do governo estadual. O recurso é suficiente para abastecer a rede durante três meses.

 

A partir desta terça-feira, as farmácias de alto custo voltam a fornecer, por exemplo, a rispiridona, um medicamento essencial e de uso contínuo para o controle de doenças psiquiátricas.

 

Antônio Paiva, coordenador da Central de Medicamentos do Amazonas, acredita que na gestão passada houve erro na forma de realização das compras.

 

A falta de remédios na rede pública de saúde do Amazonas está sendo investigada pelo Ministério Público do estado.

 

A Central de Medicamentos está neste momento com 25% do estoque mensal abastecido.

 

A expectativa é que a situação seja normalizada até março.

 

A central é responsável pela distribuição de remédios e insumos para 52 unidades de saúde da capital e 71 unidades dos demais municípios amazonenses.

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique