Feridos em confronto na Venezuela são atendidos no Brasil

01:23 Geral, Notícias 22/02/2019 - 17h11 Brasília Embed

Renata Martins

Um confronto entre militares ligados ao presidente Nicolás Maduro e indígenas da etnia Pemón, terminou com a morte de dois indígenas venezuelanos, nesta sexta-feira (22), na região de Kumarakapay, próximo à fronteira da Venezuela com o Brasil.

 

Duas ambulâncias venezuelanas foram autorizadas a cruzar a fronteira com o Brasil, nesta tarde trazendo os feridos. Cinco foram levados para o Hospital Geral de Roraima, na capital, Boa Vista.

 

Os pacientes chegaram à unidade acompanhados por uma médica venezuelana.

 

Segundo a Secretaria de Saúde de Roraima, todos estão com ferimentos por arma de fogo.

 

Três tiveram que passar por cirurgia e dois receberam atendimento no setor do Grande Trauma.

 

Opositor de Maduro, o deputado da Assembleia Nacional da Venezuelana Americo de Grazia, afirmou em sua conta no Twitter, que uma mulher do povo Pemón, identificada como Zoraida Rodríguez, morreu no local do confronto.

 

A outra vítima seria o indígena, Rolando García que não teria resistido aos ferimentos e morrido em hospital no Brasil – essa informação, no entanto, ainda não foi confirmada pelo governo roraimense.

 

Segundo Rolando García, o General José Miguel Montoya é mantido como refém pelos indígenas venezuelanos.

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique