STF mantém afastada juíza que deixou adolescente em cela com homens

01:22 Geral, Notícias 06/02/2019 - 08h51 Brasília Embed

Maíra Heinen

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu manter decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) que afastou de suas funções a juíza Clarice Maria de Andrade.

 

Em 2007, a juíza foi acusada de manter uma adolescente de 15 anos presa em uma cela com cerca de 30 homens, em Abaetetuba, no Pará.

 

Em 2016, o ministro Marco Aurélio, em decisão individual, havia suspendido a decisão do CNJ e determinava que a juíza ficasse em disponibilidade, pena administrativa que equivale a dois anos de suspensão das funções, mas com recebimento de salário.

 

Nessa terça-feira (5), por 4 votos a 1, o colegiado entendeu que a punição do CNJ foi adequada porque a magistrada deixou de cumprir suas funções ao tomar conhecimento da prisão da adolescente e não providenciar as medidas para sanar a ilegalidade.

 

De acordo com o processo, a juíza Clarice Maria de Andrade foi notificada pela polícia local, que pediu “em caráter de urgência” a transferência da adolescente, alertando para o risco de ela “sofrer todo e qualquer tipo de violência por parte dos demais”.

 

As apurações mostraram que o pedido de transferência só foi emitido mais de dez dias depois.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique