Maternidade no Acre implanta cartório para registro de recém-nascidos

02:08 Geral, Notícias 12/03/2019 - 12h02 Brasília Embed

Bianca Paiva

Dos 102 partos realizados em janeiro na Maternidade Ethel Muriel Géddis, no município de Tarauacá, no Acre, em apenas 5 os pais fizeram o registro de nascimento do bebê.

 

Para mudar essa realidade, comum no interior da Amazônia, e levar cidadania aos recém-nascidos, a unidade de saúde fez uma parceria com o cartório local e, há cerca de 2 meses, passou a oferecer a emissão da certidão de nascimento, como explica Laura Pontes, gerente-geral da maternidade.

 

“ Trabalhando no hospital, a gente vê que metade da população não tem identidade porque não tem certidão de nascimento. E isso é um dos maiores problemas que a gente enfrenta. A procura era muito difícil. Acho que boa parte não tinha interesse. E também porque nós temos pacientes de seringais, de outras regiões do interior. E eles não buscam. Geralmente a mulher vem do seringal, tem o bebezinho, e no dia seguinte vai embora”.

 

A gerente da maternidade ressalta a importância de fazer o registro de nascimento do bebê.

 

“Além de se tornar um cidadão brasileiro, porque enquanto a pessoa não tem o documento, é como se ela não existisse, também favorece a família receber alguns benefícios, como bolsa família, auxílio da escola, auxílio maternidade, pra quem nora em zona rural. Também vai facilitar pra pessoa que precisar ficar internada, fazer o tratamento fora do domicílio”.

 

Para fazer o registro de nascimento na maternidade é preciso apresentar identidade e CPF do pai e da mãe e certidão de casamento, se forem casados.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique