MPF pede condenação de empresa por derramamento de óleo no Rio Negro

02:14 Geral, Notícias 24/05/2019 - 09h23 Brasília Embed

Bianca Paiva

O Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas quer que a empresa Porto Chibatão seja condenada a pagar R$ 2,5 milhões por danos ambientais e mais R$ 1 milhão pelos danos morais coletivos causados pelo derramamento de óleo no Rio Negro, em agosto do ano passado, em Manaus.

 

O órgão entrou com uma ação civil pública na Justiça contra o porto privado e pede ainda que esses valores sejam revertidos em ações socioambientais na área atingida, que abrange os bairros Mauazinho e Colônia Antônio Aleixo.

 

O procurador da República Leonardo Galiano conta quais os principais prejuízos causados pelo acidente. Segundo ele, a pesca de diversas comunidades foi afetada, além do comprometimento da balneabilidade e possível contaminação da estação que promove o abastecimento de água em Manaus.  

 

A mancha de óleo chegou a 10 km de extensão do Rio Negro. O vazamento ocorreu após o naufrágio de uma embarcação do tipo empurrador.

 

Segundo o procurador, não é a primeira vez que a empresa se envolve em acidentes com impactos ambientais.

 

O grupo Chibatão informou que ainda não foi notificado da ação e que não vai se manifestar no momento.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique