STJ decide que investigados por incêndio na boate Kiss serão julgados por Tribunal do Júri

01:18 Geral, Notícias 18/06/2019 - 20h00 Brasília Embed

Anna Luisa Praser

Quatro investigados pelo incêndio da Boate Kiss ocorrido em 2013, em Santa Maria, município do Rio Grande do Sul, serão julgados por homicídio pelo Tribunal do Júri local.

 

A decisão foi anunciada nesta terça-feira (18) pela 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que julgou um recurso protocolado pelo Ministério Público e pela associação dos familiares das vítimas da tragédia, para reformar uma decisão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, que entendeu que os envolvidos não deveriam ser julgados pelo júri popular, mas por um juiz criminal.

 

De acordo com a sentença, os sócios da Boate Kiss - Elissandro Callegaro  e Mauro Lodero Hoffmann, e os músicos Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Augusto Bonilha Leão, - integrantes da banda Gurizada Fandangueira - estavam cientes dos riscos do uso de fogos artifícios, que não poderiam ser acionados em ambientes fechados.

 

Também foi destacada na decisão a superlotação da casa, a falha dos equipamentos de segurança e a falta de treinamento dos funcionários para atuar em situações de emergência.

 

O incêndio que atingiu a boate Kiss, causado pelo acionamento de fogos de artifício dentro da casa, matou 242 pessoas e feriu outras 636.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique