Estados da Amazônia Legal se mobilizam para combate a incêndios florestais e urbanos

03:12 Geral, Notícias 29/08/2019 - 19h12 Brasília Embed

Bianca Paiva

Os nove estados da Amazônia Legal solicitaram ajuda ao governo federal tanto por meio das Forças Armadas como financeiramente para o combate e prevenção aos incêndios florestais. Diversas ações já estão em andamento na região.

 

O Mato Grosso, por exemplo, realizou esta semana a operação integrada “Abafa Amazônia” para coibir e punir quem cometer crimes ambientais e provocar queimadas, que estão proibidas no estado desde 15 de julho. O balanço ainda será divulgado e outras operações serão realizadas no período de estiagem.

 

A Polícia Judiciária Civil mato-grossense informou que foram instaurados 145 procedimentos investigativos de 1º de junho de 2018 a 28 de agosto de 2019.

 

O Acre está em situação de emergência por causa da estiagem e do aumento das queimadas desde o dia de 23 de agosto. Os focos de incêndio são registrados tanto em áreas de floresta como urbanas.

 

Por isso, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil promovem campanhas preventivas e pedem a colaboração da população, como ressalta o porta-voz dos dois órgãos, major Cláudio Falcão.

 

Sonora: “Nós sabemos que 98% dos incêndios são propositais ou por negligência. E vem sempre da ação humana. Os incêndios por fenômeno meteorológico são muito pequenos ou quase nenhum. Então se a comunidade tiver a consciência de não negligenciar e também não intencionalmente colocar fogo, nós vamos ter uma efetividade muito melhor do que apenas as ações dos órgãos governamentais”

 

O Corpo de Bombeiros do Pará também deu início esta semana à “Operação Fênix”. Uma tropa com 50 militares foi deslocada para os municípios onde há maior concentração de queimadas.

 

As ações já contam com o apoio das Forças Armadas. A Polícia Civil paraense informou que investiga indícios de prática de incêndio criminoso nos municípios de Novo Progresso e São Félix do Xingu.

 

Em Rondônia, está em andamento a Operação Jequitibá com a participação de 70 profissionais do Corpo de Bombeiros, agentes do PrevFogo do Ibama e militares do Exército.

 

O Maranhão, que registra menos de 1% das queimadas identificadas em toda a Amazônia Legal, investe em medidas preventivas. Militares do Corpo de Bombeiros do estado e do Exército sobrevoaram em áreas com focos de queimadas. Os dados colhidos estão sendo utilizados para a distribuição de ações contra o fogo.

 

O mesmo trabalho de reconhecimento aéreo foi feito nessa quarta-feira (28) no Amazonas para subsidiar as operações conjuntas entre as forças armadas e os órgãos ambientais e de segurança estaduais.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique