Witzel diz que familiar do sequestrador de ônibus pediu desculpas à sociedade

02:58 Geral, Notícias 20/08/2019 - 15h13 Rio de Janeiro Embed

Raquel Júnia

Após cerca de quatro horas interditada, a ponte Rio-Niterói foi reaberta nos dois sentidos às 10h50 desta terça-feira (20), após o desfecho da ocorrência envolvendo o homem que fez 37 reféns no ônibus da companhia Galo Branco, que fazia o trajeto entre São Gonçalo e o Estácio, no centro do Rio.

 

Desde o início da ocorrência, antes das 6h, muitos motoristas ficaram presos nos acessos e na própria Ponte Rio-Niterói.  O congestionamento na cidade do Rio chegou a 81 quilômetros enquanto a média para o horário não passa dos 50 quilômetros.

 

Em Niterói, vias de acesso à Ponte Rio-Niterói, como a Alameda São Boaventura e Avenida Marquês do Paraná, ficaram completamente paradas. A prefeitura do município recomendou aos moradores da cidade que evitassem o deslocamento de carro e, caso não pudessem evitar a ida ao Rio de Janeiro, que fizessem a travessia da Baía de Guanabara pelas barcas.

 

O motorista Thiago Luiz foi um dos que não conseguiram passar antes de a ponte ser interditada também no sentido Niterói. Ele transportava insumos para uma cirurgia e tinha pressa de chegar na cidade.

 

No local da ocorrência, o governador do Rio, Wilson Witzel, elogiou o trabalho da Polícia Militar e afirmou que o governo do estado vai prestar apoio aos reféns e também à família do sequestrador. Witzel afirmou que um dos familiares do sequestrador "pediu desculpa a toda a sociedade, aos reféns".

 

O sequestrador foi morto em um das vezes que saiu do ônibus no processo de negociação com os agentes da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Militar, após três hora de cerco. Ele foi atingido por um atirador de elite do Batalhão de Operações Policiais (Bope), que se posicionou em cima de um caminhão do Corpo de Bombeiros.

 

O homem portava também um galão com gasolina e a polícia disse que a arma de fogo que carregava se tratava de um simulacro.

 

Ao longo da negociação, seis pessoas chegaram a ser liberadas pelo sequestrador. Nenhum dos reféns ficou ferido. Após a ocorrência, eles foram levados para a sede da PRF para serem atendidos.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique