Aedes aegypti pode ser combatido por avião; órgãos ambientais terão que liberar

01:27 Geral, Notícias 12/09/2019 - 11h18 Brasília Embed

Priscilla Mazenotti

O combate ao mosquito transmissor da dengue poderá ser feito por meio de aeronaves, que vão jogar inseticida do ar. A decisão é do Supremo Tribunal Federal (STF). Mas, para isso, será preciso autorização prévia dos órgãos sanitários e ambientais competentes.

 

A decisão foi tomada no julgamento de uma ação protocolada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), questionando a legalidade de parte da lei que  disciplinou as medidas a serem tomadas para combater o Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunha e zika.

 

A procuradoria sustentou que não há comprovação científica de que a pulverização aérea seja eficaz. Acrescentou que a dispersão por meio de aeronaves pode colocar a saúde da população em risco e provocar efeitos nocivos ao meio ambiente.

 

Mas, ao julgar a questão, os ministros decidiram manter a validade da lei dando uma interpretação conforme a Constituição, para deixar claro que os pareceres das autoridades sanitárias e ambientais são necessários para uso do fumacê aéreo.

 

A decisão do STF veio no mesmo dia em que um balanço do Ministério da Saúde informou que os casos de dengue este ano, no país, aumentaram 600%, passando de 205 mil para mais de 1,4 milhão.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique