Presos novamente, ex-governadores Garotinho e Rosinha negam ameaça a testemunha

02:50 Geral, Notícias 30/10/2019 - 16h01 Rio de Janeiro Embed

Raquel Júnia

Após serem presos novamente nesta quarta-feira, os ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Matheus questionaram a decisão judicial que derrubou o habeas corpus que os mantinha soltos.


O casal negou que tenha coagido testemunhas, motivo usado pelo Ministério Público do estado do Rio para pedir novamente a prisão do casal. Após passagem pela Cidade da Polícia, na zona norte do Rio, Garotinho reafirmou que é vítima de perseguição e criticou os argumentos utilizados para a prisão.

 

“Preciso saber quando essa perseguição vai terminar. Porque esse ato, essa decisão tomada ontem, é completamente desprovida de qualquer fundamento. Porque o processo está desde 2013. E agora me aparece uma testemunha dizendo que ela está sendo ameaçada. Ela já disse isso da outra vez. Foi oferecido a ela um programa de proteção a testemunha, ela recusou. Agora ela volta ao Ministério Público e acusa que eu estaria a ameaçando”.


Ao lado de Rosinha, Garotinho negou que houve qualquer ameaça à testemunha e criticou o voto dos desembargadores favoráveis à prisão que teriam feito uma analogia do caso com a Lei Maria da Penha, pelo fato de a testemunha que relatou ser ameaçada ser uma mulher. A defesa do casal ressaltou que a decisão carece de contemporaneidade porque os fatos narrados ocorreram há cerca de seis anos, e disse também que as medidas processuais já estão sendo tomadas para garantir a soltura do casal.


Os ex-governadores tinham sido presos preventivamente no dia três de setembro, na Operação Domus, acusados de participação em um esquema de superfaturamento em contratos para a construção de casas populares, celebrados entre a Prefeitura de Campos dos Goytacazes e a construtora Odebrecht, entre 2008 e 2013.


Na época, Rosinha era a prefeita de Campos e Garotinho secretário municipal. O casal foi solto no dia seguinte, por habeas corpus concedido pelo desembargador Siro Darlan, no Plantão Judiciário.


A queda do Habeas corpus e a nova prisão foram determinadas nesta terça-feira pela Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio. Por dois votos a um, os desembargadores do colegiado acataram o pedido do Ministério Público estadual.


Os dois foram presos por volta de 6h30, na residência deles, na zona sul do Rio.


Esta foi a quinta vez que Garotinho foi preso. Já Rosinha foi detida pela terceira vez. As prisões foram decretadas em diferentes processos criminais e eleitorais. Os ex-governadores ficarão detidos no Presídio de Benfica.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique