TJRJ abre procedimento que apura conduta sobre vestimenta

01:26 Geral, Notícias 30/10/2019 - 15h17 Rio de Janeiro Embed

Tâmara Freire

A juíza Maíra Valéria Veiga de Oliveira, diretora do Fórum de Iguaba Grande, na Região dos Lagos Fluminenses negou que tenha usado uma régua para medir o comprimento das saias de advogadas, que fariam audiências no local.

 

A magistrada foi denunciada à Ordem dos Advogados do Brasil na semana passada porque teria determinado o impedimento da entrada de profissionais com base na altura da vestimenta.

 

Em uma nota publicada no site da associação dos magistrados do Rio de Janeiro, a juíza admite que regulamentou orientações para o respeito ao decoro nas dependências do foro, por causa do uso recorrente de vestimentas impróprias no local, que constrangem operadores do Direito e jurisdicionados, mas de acordo com ela, as advogadas nunca foram impedidas de entrar por causa dessa determinação, que não tem o objetivo de barrar qualquer cidadão, mas apenas de assegurar a razoabilidade no ambiente forense.

 

Já de acordo com a OAB, após diversas queixas feitas por advogadas que se sentiram humilhadas com a medida, a diretoria de Mulheres da OAB, enviou representantes ao fórum com vestidos acima dos joelhos, para testar a recepção, e uma das delas acabou barrada.

 

Por causa da denúncia da OAB, a Corregedoria-Geral do Tribunal de Justiça abriu um procedimento para apurar a conduta da diretora.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique