Com diminuição de 20% da frota, SuperVia trabalha com horários indefinidos

03:31 Geral, Notícias 18/11/2019 - 17h18 Rio de Janeiro Embed

Raquel Júnia

A malha ferroviária do Rio de Janeiro amanheceu com 40 trens a menos, nesta segunda-feira (18). A retirada de circulação das composições só foi anunciada pela concessionária que administra o serviço, a SuperVia, na tarde desse domingo (17).

 

A redução é de 20% da frota. A situação provocou o ajuste da grade horária de quatro ramais - Deodoro, Japeri, Santa Cruz e Saracuruna - e agora os intervalos estão indefinidos.

 

Além disso, algumas viagens do ramal Deodoro estão sendo realizadas em trens de menor capacidade, de quatro carros, em vez de oito carros. Apenas um trecho do ramal Saracuruna (Central-Gramacho) e o ramal Belford Roxo circularam sem alterações.

 

Alguns passageiros relataram espera de 30 minutos nas estações, como a trabalhadora doméstica Eliane Lúcia, que utiliza o ramal Japeri.

 

A SuperVia informou que a retirada de circulação dos trens, todos de um mesmo fabricante – o consórcio chinês CRRC -, foi necessária para manter a segurança da operação diante de falhas nas caixas de tração das composições, fabricadas pela empresa alemã Voith.

 

Segundo a concessionária, os primeiros problemas foram detectados em setembro de 2016, quando a fabricante iniciou um processo de análise técnica.

 

Desde novembro do ano passado vem sendo feito um recall nos trens, mas em junho deste ano, ainda de acordo com a concessionária, novas falhas foram identificadas e a própria fabricante suspendeu o recall até que uma solução fosse encontrada.

 

Os trens foram comprados pelo Governo do Estado, entre 2014 e 2016. A SuperVia informou que por estar em período de garantia, a responsabilidade de solução do problema recai sobre a fabricante chinesa e que não há, até o momento, previsão de retorno da circulação dos trens.

 

Questionada sobre mais detalhes sobre o problema, a concessionária explicou que as equipes técnicas da SuperVia monitoravam a todo o tempo a situação e que foram sendo liberados apenas os trens em condições adequadas e totalmente seguros.

 

Além disso, nas duas últimas semanas a concessionária observou o agravamento das falhas, o que só poderia ser resolvido pelos fabricantes.

 

Sobre os impactos aos passageiros, nesta segunda-feira, a concessionária disse que foi reforçada a comunicação com os usuários e que foi observada até as 9h, no horário de pico, queda de 6,4% no número de passageiros, em relação a uma segunda-feira comum.

 

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Transportes informou que já está em tratativas junto ao consórcio chinês para solucionar, na maior brevidade possível, os problemas.

 

A secretaria diz, também, que lamenta os impactos causados aos passageiros e garante ainda que todas as viagens da SuperVia continuam ocorrendo com absoluta segurança.

 

A Agetransp, Agência Reguladora das Concessões de Transporte Público no Estado do Rio de Janeiro, informou que desde às 3h30 reforçou a fiscalização nas estações sobre os intervalos e a comunicação feita aos passageiros. Segundo a agência os comunicados precisam ser feitos antes que os passageiros ingressem nas estações.

 

A agência ainda não divulgou um balanço sobre as fiscalizações, nesta segunda-feira.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique