MAB diz que reparação de Brumadinho é lenta; segundo a Defensoria, indenizações passam de R$ 100 bi

06:07 Geral, Especiais 25/01/2020 - 07h26 Belo Horizonte Embed

Desirée Miranda, da Rádio Inconfindência

Reparação socioeconômica dos atingidos e suas famílias, ambiental e aos cofres públicos. Esses são os principais eixos de uma ação judicial que tramita na 6ª Vara da Fazenda Pública do TJ-MG, em Belo Horizonte, contra a Vale, em virtude do rompimento da barragem B-1 da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, há um ano.

 

Logo depois do desastre, a Justiça determinou o bloqueio de R$ 5 bilhões da mineradora para garantir a adoção de medidas emergenciais e a reparação de danos ambientais decorrentes do rompimento da barragem. A decisão também impôs que a empresa adotasse as medidas necessárias para garantir a estabilidade da barragem 4 do complexo.

 

No dia seguinte, uma liminar determinou o bloqueio de mais R$ 5 bilhões. Os pedidos foram feitos pelo Ministério Público de Minas Gerais, e a decisão, além da indisponibilidade de bens, determinou uma série de medidas para garantir assistência emergencial aos moradores atingidos. Acompanhe na reportagem de Desirée Miranda, da Rádio Inconfidência, de Belo Horizonte.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique