Palestinos pedem ajuda internacional em fórum na Tunísia

02:29 Internacional, Notícias 27/03/2015 - 16h04 Túnis, Tunísia Embed

Ana Cristina Campos

Palestinos aproveitam os cinco dias do Fórum Social Mundial, na Tunísia, para chamar a atenção da comunidade internacional sobre as precárias condições de vida na Faixa de Gaza. Além de promover debates sobre refugiados, prisioneiros políticos e a ocupação dos territórios, eles montaram tendas e distribuem panfletos para mobilizar delegações de outros países sobre a crise vivida pelo povo palestino.

 

O diretor da rede de organizações não-governamentais da Palestina, Amjad Shawa, mora em Gaza e foi um dos poucos que conseguiram sair do território para participar do fórum. Outras cem pessoas de Gaza queriam vir a Túnis, mas não conseguiram permissão de Israel. Shawa relatou que a situação está dramática em Gaza após três guerras com Israel em menos de seis anos. 

 

Sonora: “A guerra israelense em Gaza acabou com grande parte da infraestrutura, cerca de 120 mil casas foram total ou parcialmente destruídas, 18 hospitais foram destruídos."

 

Cerca de duas mil pessoas foram mortas na última guerra no ano passado, outras duas mil foram feridas. Shawa contou que Israel continua impondo seu bloqueio, impedindo que os suprimentos mais básicos entrem em Gaza, que está sofrendo as piores condições humanitárias, com insegurança alimentar, dificuldade de acesso a água potável, pobreza e desemprego. 

 

Apesar da ajuda de organizações internacionais, Shawa destacou que os palestinos precisam do fim do bloqueio para viver livremente. Segundo ele, cerca de 20 mil pessoas estão vivendo em escolas e abrigos.

 

O chefe da delegação palestina no fórum, Yousef Habache, contou que cerca de 400 pessoas participam do evento, entre moradores da Palestina e refugiados no Líbano e na Síria. Ele disse que o povo palestino pede solidariedade internacional à sua causa de independência em relação a Israel, de liberdade e de criação do Estado palestino. 

 

Sonora: “Estamos em 2015 e as pessoas vivem nessa situação. Não há justiça neste mundo. Os governos de todo o mundo - na Europa, na América, em todo lugar -  são responsáveis pelo que está acontecendo em Gaza”.

 

Para Habache, a reeleição do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que disse se opor à criação de um Estado palestino, é um recado claro dos israelenses de que não querem uma solução para o conflito, que remonta ao início do século passado.

 

O Fórum Social Mundial vai até este sábado (28) na Universidade El Manar, em Túnis, na Tunísia.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique