Cresce pressão para evitar separação de pais e filhos que entram ilegais nos EUA

02:13 Internacional, Notícias 19/06/2018 - 08h44 Atlanta (EUA) Embed

Leandra Felipe

A pressão sobre o Congresso dos Estados Unidos para impedir que crianças indocumentadas (sem documentos para entrar no país) separadas dos pais presos quando tentam entrar ilegalmente na fronteira com o México aumentou, com a divulgação de novas imagens de abrigos, áudios de crianças chorando pelos pais ao serem separadas.


A bancada democrata uniu-se em torno de um projeto de lei para proibir a separação de famílias e senadores querem votar uma medida ainda esta semana.


Também foram mostrados casos de crianças que ficaram nos abrigos meses depois da deportação dos familiares adultos. Dentro do próprio partido republicano, alguns políticos já se movimentam contra a tolerância zero de Trump.


O deputado do Colorado Mike Coffman, por exemplo, disse nessa segunda-feira (18), no Twitter, que quer ajudar a acabar com "o desastre de direitos humanos na fronteira".


Ele é um dos parlamentares que apoiam o chamado “Keep Families Together act”, ou Lei pelas Famílias Juntas. Uma proposta da senadora Dianne Feinstein para impedir a separação familiar.


Senadores trabalham para votar o projeto o mais rápido possível. Em um vídeo divulgado nas redes sociais, a senadora Feinstein disse que não há lei que exija que uma criança seja retirada dos braços de uma mãe durante a amamentação.


Ela chamou a política de Trump de “imoral” e disse que isso deve acabar rapidamente.


Dentro do próprio governo, começaram a acontecer posicionamentos contrários. Inclusive a primeira dama, Melania Trump, defendeu que o governo deve seguir as leis, mas que não deve deixar de governar com o coração. Ela condenou a separação familiar.


A Organização das Nações Unidas (ONU) voltou a pedir nessa segunda-feira que o governo Trump interrompa a separação de famílias.


Mesmo com a pressão, Trump disse não deixará de cumprir estritamente a lei que já existe e que determina a prisão pelo crime de entrada ilegal no país.


As imagens divulgadas por várias redes de televisão nos Estados Unidos, que aumentaram a polêmica em torno das imagens, mostraram abrigos até em galpões ou antigos supermercados onde foram colocadas camas para crianças e adolescentes.


Eles podem falar uma vez por semana com os pais.


Uma pesquisa divulgada pela rede CNN revelou que 67% dos americanos são contrários a separação de filhos e pais.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique