Após renúncia de todos da linha sucessória presidencial na Bolívia, país está sem governante

01:37 Internacional, Notícias 11/11/2019 - 15h58 Montevidéu Embed

Marieta Cazarré

A Bolívia acordou nesta segunda-feira sem um governante. Ontem, o presidente Evo Morales renunciou ao cargo, após uma onda de protestos que já durava 21 dias.


Também renunciaram Álvaro García Linera, vice-presidente do país, Víctor Borda, presidente da Câmara de Deputados, e Adriana Salvatierra, presidente do Senado.


Cabe agora ao Legislativo escolher um novo presidente para o Senado, para que este possa acatar a renúncia de Morales e dar início ao processo de novas eleições. Isso porque apesar de o presidente Evo Morales ter anunciado a sua renúncia este domingo, sua carta ainda precisa ser oficialmente recebida e acatada pelo Congresso para que ele deixe de ser o mandatário do país.


Diante da ausência dos chefes das duas câmaras, o vice-presidente do Senado deve convocar uma sessão e encaminhar os próximos passos. Ainda não se sabe como exatamente o legislativo irá proceder.


É possível que determinem um nome para assumir a presidência do Senado, alguém que finalize o atual mandato de Morales, enquanto se convocam novas eleições.


Pode ser ainda que os legisladores definam uma espécie de "governo de consenso" até o fim do atual mandato, que vai até o dia 22 de janeiro, data prevista para a posse do próximo presidente.


Pode ser ainda que partidos políticos e movimentos civis cheguem a um acordo em relação ao nome de algum senador que possa ocupar interinamente a presidência enquanto o processo de novas eleições é realizado.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique