Justiça Federal mantém proibição à Alcoa de entrar em assentamento de Santarém sem autorização

01:31 Justiça, Notícias 20/11/2019 - 18h03 Brasília Embed

Larissa Abreu*

A Justiça Federal de Santarém, no oeste do Pará, confirmou decisão liminar de outubro do ano passado e manteve a proibição à fábrica de alumínio Alcoa Brasil e à subsidiária Matapu Sociedade de Mineração de entrarem no Projeto de Assentamento Agroextrativista Lago Grande, em Santarém.


A sentença foi assinada pelo juiz Érico Rodrigo Freitas Pinheiro em outubro deste ano, mas a decisão foi divulgada somente nessa terça-feira.


Conforme a determinação, as empresas estão proibidas de entrarem no assentamento sem antes consultar previamente as comunidades e sem as licenças necessárias.


A consulta prévia deve ser realizada conforme os moldes da Convenção 169, da Organização Internacional do Trabalho. Já as autorizações minerárias devem ser expedidas pelo órgão competente.


De acordo com o Ministério Público Federal no Pará, a mineradora explora bauxita no município vizinho ao assentamento e estava assediando irregularmente as comunidades, distribuindo propagandas de ações sociais e oferecendo dinheiro para projetos em escola, na intenção de expandir as atividades na região.

 

A Rádio Nacional procurou a empresa Alcoa Brasil para um posicionamento, mas até o fechamento desta reportagem não tivemos resposta.

 

*Estagiária sob supervisão de Leandro Martins

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique