Duas mil mulheres do RJ são inseridas em programas de proteção por meio da Patrulha Maria da Penha

01:14 Justiça, Notícias 27/02/2020 - 22h19 Rio de Janeiro Embed

Tâmara Freire

Mais de 2 mil mulheres foram inseridas em programas de proteção no ano passado após serem atendidas pela Patrulha Maria da Penha.


A parceria entre o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e a Polícia Militar foi criada em agosto de 2019 para atender sobreviventes de violência doméstica.


Os agentes também fizeram mais de 4,5 mil visitas para verificar o cumprimento de medidas protetivas, e cerca de 1,6 mil visitas de acompanhamento. Em cinco meses, 64 agressores foram presos por descumprirem as determinações judiciais.


A Patrulha Maria da Penha foi instituída em todos os batalhões de Polícia Militar do estado e, em cada um deles, quatro agentes foram treinados para atender exclusivamente vítimas de violência doméstica, com o apoio de uma viatura caracterizada.


Eles acompanham mulheres que já denunciaram a violência sofrida e receberam uma medida protetiva judicial que determina o afastamento do agressor. O objetivo é dar segurança às mulheres de que elas serão protegidas após denunciar a violência, e evitar tanto a reincidência quanto o agravamento dos casos.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique