Barragem de Crixás deverá ser desativada até setembro do ano que vem

02:03 Justiça, Notícias 12/02/2020 - 15h20 Brasília Embed

Dayana Vítor

A barragem da Mineração Serra Grande S.A, localizada em Crixás, cidade a mais de 320 quilômetros de distância de Goiânia, coloca em risco a população local e precisa ser desativada até o dia 15 de setembro de 2021. A decisão é do juiz, Alex Alves Lessa. Caso a determinação seja descumprida, a mineradora terá que pagar multa diária de quinhentos mil reais.


Mas em um prazo bem menor, de sessenta dias, a empresa terá que realizar estudo socioeconômico de todas as edificações e propriedades rurais próximas a barragem. Além disso, até o dia 15 de dezembro de 2021, deverá comprovar que instalou equipamentos de segurança com sirenes para avisar sobre possíveis casos de rompimento da estrutura.


O Ministério Público de Goiás propôs a ação pelo fechamento da barragem, por ela ter sido construída pelo método de montante, que permite a colocação de mais rejeitos de minério, em cima dos já existentes. Esse modelo é o mesmo da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, que desmoronou no dia 25 de janeiro de 2019.


Segundo análise do Ministério Público goiano, se houvesse rompimento das barragens de Crixás, parte da população da cidade estaria em risco porque o local fica a menos de dois quilômetros do município. Também haveria possível contaminação das águas do Rio Vermelho, que deságua no rio Crixás-açu, que, por sua vez, joga suas águas no rio Araguaia.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique