Ministro do meio ambiente nega demora para dar respostas sobre vazamento de petróleo

01:28 Meio Ambiente, Notícias 16/10/2019 - 16h01 Brasília Embed

Victor Ribeiro

O petróleo que se espalha pelo litoral do Nordeste já atingiu mais de 160 localidades nos 9 estados da região e alcançou leitos de alguns rios, entre eles o São Francisco. O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sobrevoou a área nesta quarta-feira. Na Bahia, ele falou rapidamente com jornalistas.

 

Salles afirmou que, apesar de o Ministério Público reclamar da demora nas ações, as autoridades federais estão trabalhando. O ministro acrescentou que, se a origem do óleo fosse conhecida, seria mais fácil elaborar um plano de contenção.

 

“Não á nenhuma demora de nenhum órgão. Tanto o Ibama como o ICMBio, a Marinha, todos os órgãos envolvidos, estão trabalhando de maneira ininterrupta desde o início do aparecimento das manchas, do dia 2 de setembro em diante. Não se poupou nenhum esforço. O problema é que é um caso sem precedentes, cuja origem do óleo é desconhecida. Já se sabe que não é brasileiro, que tem origem venezuelana, mas não se sabe como ele vazou para o litoral brasileiro”.

 

Ricardo Salles também destacou que o fato de o petróleo se espalhar pelo fundo do mar dificulta muito o monitoramento da poluição por avião ou satélite.

 

E a Petrobras divulgou também nesta quarta o balanço de um mês de ações no litoral nordestino. Desde o dia 12 de setembro, a empresa coletou mais de 200 toneladas de óleo e areia contaminada. A Petrobras mobilizou cerca de 1,7 mil agentes ambientais e mais de 50 empregados para as atividades.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique