Fêmea de peixe-boi reintroduzida na natureza está grávida; filhote deve nascer em junho

00:00 Meio Ambiente, Notícias 12/03/2020 - 16h43 Brasília Embed

Grazielle Bezerra

A família de peixes-boi da Amazônia vai crescer. Pesquisadores que monitoram a saúde desses animais identificaram que uma das fêmeas da espécie, reintroduzida há menos de 2 anos na natureza, está esperando um filhote.

 

E o caso é inédito. É a primeira vez que pesquisadores constatam gravidez em peixe-boi da Amazônia reintroduzida à natureza.

 

A fêmea, carinhosamente chamada de “Baré” chegou ainda filhote ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, em Manaus, onde passou 16 anos.

 

Ela foi solta, em 2018, junto com animais, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus, no município de Anori, a 173 quilômetros da capital amazonense.

 

Para o instituto, a gestação de Baré mostra que o programa de soltura de animais está dando certo. E no mês que vem, a expectativa é reintroduzir mais dez indivíduos dessa espécie na natureza.

 

O filhote de Baré deve nascer no mês de junho, período de enchente do rio Purus, época com a maior abundância de alimentos para os animais.

 

O peixe-boi da Amazônia vive em média 60 anos e só está pronto para se reproduzir com aproximadamente seis anos de idade.

 

A gestação da fêmea de peixe-boi da Amazônia dura aproximadamente 12 meses e nasce um filhote por vez, com raros casos de gêmeos.

 

A caça ilegal e captura acidental em redes de pesca são as principais ameaças ao peixe-boi da Amazônia. A caça do animal está proibida desde 1967.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique