Em Mato Grosso, estudantes criam fralda biodegradável a partir do amido da mandioca

02:50 Pesquisa e Inovação, Programetes 24/12/2018 - 14h40 Brasília Embed

Michele Moreira

Ela tem várias marcas e tamanhos, com sistema reforçado de proteção e que se ajusta ao formato do corpo. É uma facilidade na rotina diária de muitas casas. Estamos falando da fralda descartável.

 

Mas, a revolução que facilitou os cuidados com crianças e pessoas acamadas, por exemplo, também trouxe um problema: o que fazer com o plástico; uma das matérias-primas usada em sua produção?

 

Em Mato Grosso, estudantes do Instituto Federal participantes do projeto Células Empreendedoras resolveram então buscar uma alternativa ao problema e investir em uma fralda biodegradável.

 

A aluna Mariana Nunes conta que a motivação partiu também de uma experiência pessoal.

 

O produto substitui o plástico sintético do petróleo pelo bioplástico vindo do amido da mandioca. Além de ajudar na preservação do meio ambiente a proposta busca baratear o preço das fraldas.

 

Mariana explica que o protótipo ainda está em fase de testes e passa por algumas dificuldades.

 

Ainda que não tenha data para ser lançada no mercado, a fralda biodegradável se soma aos esforços de diminuir o consumo de plástico no Brasil. De acordo com o Instituto Federal de Mato Grosso, o tempo de decomposição do produto é de SEIS meses enquanto a fralda convencional demora cerca de 500 anos.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique