Museu de Biologia Mello Leitão completa 70 anos e se insere em rede de preservação da Mata Atlântica

02:08 Pesquisa e Inovação, Notícias 29/06/2019 - 14h40 Rio de Janeiro Embed

Tâmara Freire

O Museu de Biologia Mello Leitão, fundado pelo patrono da ecologia no Brasil, está completando 70 anos.

 

Localizado na cidade de Santa Teresa, na região serrana do Espírito Santo, a unidade prossegue com um dos principais trabalhos de Augusto Ruschi: a educação ambiental, que ele acreditava ser essencial para complementar o esforço dos pesquisadores e promover a preservação.

 

De acordo com a coordenadora do Instituto Nacional da Mata Atlântica, Alyne dos Santos Gonçalves, todos os anos, o museu recebe cerca de 80 mil pessoas, principalmente estudantes.

 

O museu é vinculado à autarquia do Ministério da Ciência, Tecnologia e Comunicações e, com isso, está inserido em uma rede de unidades voltadas para a preservação da Mata Atlântica.

 

Graças ao trabalho de descoberta e catalogação de novas espécies, especialmente beija-flores, orquídeas e morcegos, iniciado por Ruschi e prosseguido por outros profissionais, o Mello Leitão se tornou uma das principais referências no país para a pesquisa da biodiversidade da Mata Atlântica.

 

Suas coleções científicas guardam um herbário com mais de 50 mil plantas e uma coleção zoológica com mais de 120 mil exemplares da fauna.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique