Mosquito do bem reduz 75% dos casos de chikungunya em bairros de Niterói

03:23 Pesquisa e Inovação, Notícias 22/11/2019 - 18h37 Rio de Janeiro Embed

Fabiana Sampaio

Há três anos, um método inovador começou a ser aplicado em alguns bairros de Niterói, na região metropolitana do Rio, para controle do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.


Agora, a tecnologia, que consiste em soltar mosquitos contaminados com uma bactéria que impede o desenvolvimento das doenças, começa a mostrar resultados: as análises preliminares indicam redução de 75% dos casos de chikungunya.


Os dados do Projeto World Mosquito Program (WMP), coordenado no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz, se referem a 17 bairros de Niterói em comparação a outras localidades nas quais o método não foi aplicado.


A tecnologia funciona da seguinte forma: apelidado de mosquito do bem, o Aedes recebe uma bactéria chamada de Wolbachia, que impede o inseto de ser infectado pelas doenças.


Ao se reproduzir com outros mosquitos locais, o novo inseto também nasce com Wolbachia. Dessa forma, a população de mosquitos capaz de transmitir dengue, zika e chikungunya vai sendo substituída por vetores que não têm essa capacidade.


O gerente de projetos do WMP, Gabriel Sylvestre, destaca que embora os resultados sejam preliminares passados dois anos do início da experiência na cidade, já são muito animadores.

 

Ainda segundo o pesquisador, a chinkungunya foi a doença comparada, mas já há indicativos de que a redução também seja significativa para a dengue e a zika.


Para implantação do método Wolbachia são necessários cerca de quatro meses de preparação envolvendo ações coordenadas com o município. A população precisa ser informada sobre o método e aceitar que os mosquitos portadores da Wolbachia sejam liberados no seu bairro.


Após esse esforço conjunto, a tecnologia depende basicamente do “trabalho” do próprio mosquito. A população também participa com uma espécie de armadilha em suas casas para coleta semanal dos mosquitos em campo. Atualmente, mais de mil famílias estão engajadas nesta etapa.


O método Wolbachia é tido como uma solução complementar, que não exclui medidas de eliminação de focos dos mosquitos e controles clínicos como o fumacê.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique