Brasília ganha centro que identifica DNA de criminosos sexuais

02:40 Pesquisa e Inovação, Notícias 11/03/2020 - 16h40 Brasília Embed

Dayana Vítor

O Brasil possui mais de 100 mil vestígios de agressões sexuais armazenados sem análise. Isso devido a falta de estrutura de alguns estados. Mas o processo de verificação do DNA desses vestígios deve ser acelerado, depois da inauguração do Centro Multiusuário de Processamento Automatizado de Vestígios Sexuais da Polícia Federal, aqui em Brasília.



O coordenador da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos do Ministério da Justiça, Guilherme Jacques, detalha os objetivos do projeto.



Um robô que consegue separar as células dos agressores e das vítimas foi adquirido para o Centro da Polícia Federal em Brasília. Esse equipamento consegue analisar até 40 amostras ao mesmo tempo. Com ele é possível identificar o DNA dos agressores para esclarecer os crimes e também incluir esses dados no Banco Nacional de Perfis Genéticos.

 

A expectativa é que mais de cinco mil vestígios sejam analisados por ano no centro.  Além de Brasília, outros dois estados terão esses robôs para analisar o DNA de vestígios sexuais, como explica o ministro da Justiça, Sérgio Moro.


 

Os vestígios de crimes sexuais do Acre, Alagoas, Piauí, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima e Tocantins serão os primeiros analisados no centro aqui de Brasília, já que esses estados precisam de mais apoio nessa área.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique