Congresso mantém veto à correção do Imposto de Renda em 6,5%

02:03 Política, Notícias 12/03/2015 - 07h52 Brasília Embed

Lucas Pordeus Leon

Deputados e senadores analisaram nessa quarta-feira (11)  nove vetos presidenciais, e mantiveram todos, inclusive o do reajuste da alíquota da tabela do Imposto de Renda em 6,5%.

 

O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho, reclamou que o reajuste não cobre a inflação do período.

 

SONORA

 

Com o veto ao reajuste de 6,5%, vai valer a Medida Provisória (MP) do governo editada nessa quarta-feira (11). O texto propõe um reajuste escalonado: os que ganham menos vão ter um desconto de 6,5% e quem ganha mais vai ter um reajuste de 4,5%.

 

O líder do governo na Câmara, José Guimarães, do PT, defendeu a articulação com a base aliada para manter a proposta do escalonamento.

 

SONORA

 

Uma das votações mais disputadas foi a da medida que mantinha contratos de empresas do Nordeste com concessionárias de energia elétrica até 2042. A proposta tinha como objetivo garantir uma energia mais barata a essas empresas. Ao manter o veto, as empresas vão ter que comprar energia no mercado, que tem um preço mais elevado.

 

Outro veto mantido foi o do projeto que reduzia a contribuição das domésticas e dos patrões ao INSS. Dilma Rousseff justificou que a medida tiraria R$ 600 milhões da Previdência.

 

E a votação do Orçamento da União de 2015 foi adiada por falta de acordo entre os partidos. O Congresso Nacional deve votar o Orçamento na próxima terça-feira (17).

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique