Familiares de vítimas da Boate Kiss temem rumos do processo criminal

01:26 Política, Notícias 09/08/2016 - 11h07 Brasília Embed

Nádia Faggiani

A Associação dos Familiares das Vítimas e Sobreviventes da Tragédia da Boate Kiss, de Santa Maria (RS), que deixou 242 mortos, está preocupada com os rumos do processo.


Em decisão recente, o juiz Ulysses Fonseca Louzada determinou que os sócios daquela casa norturna, Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann e os músicos da Banda Gurizada Fangadeira, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão sejam julgados por homicídio duplamente qualificado.


O presidente da associação, Sérgio da Silva, diz que os empresários tem forte influência em Santa Maria e que outras pessoas também deveriam ir a julgamento.


Segundo Sérgio da Silva, muitos dos 636 sobreviventes da tragédia tiveram sequelas e têm gastos elevados com remédios.


A associação dos Familiares das Vitimas e Sobreviventes fez convênio com uma farmácia. Alguns tem oito receitas e tomam muitos tipos de remédios. O incêndio na Boate Kiss aconteceu no dia 27 de janeiro de 2013.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique