Protesto no Rio pede Diretas Já

03:22 Política, Notícias 04/09/2016 - 19h58 Rio de Janeiro Embed

Tâmara Freire

Milhares de pessoas participaram de um ato na Zona Sul do Rio de Janeiro neste domingo (4) contra o Governo Temer e a favor da convocação de novas eleições presidenciais.

 

Os manifestantes se reuniram na Praia de Copacabana e caminharam até o Canecão, casa de espetáculos ocupada há um mês por integrantes do Movimento OcupaMinc.

 

A professora universitária Ângela Maria Dias mora em João Pessoa, na Paraíba, mas como está a passeio no Rio de Janeiro, resolveu se juntar ao grupo.


Sonora

 

Além de portar cartazes e faixas que usavam a palavra “Golpe” para descrever o processo de afastamento da Ex-Presidente Dilma Rousseff, os manifestantes entoavam palavras de ordem, como “Diretas Já, O Povo Quer Votar”.

 

A Professora aposentada Beti Rabetti também participou do protesto para denunciar o machismo que ela alega ter direcionado o impeachment de Dilma.


Sonora

 

Organizações como a Frente Povo Sem Medo participaram do protesto e aproveitaram para convocar o público para o Grito dos Excluídos, tradicional ato realizado anualmente paralelo ao desfile militar de Sete de Setembro, no Centro do Rio.O

 

Victor Guimarães, do Movimento de Trabalhadores Sem-Teto (MTST), entidade que compõe a Frente, acredita que a resistência ao governo deve crescer à medida que as pessoas perceberem retrocessos nas políticas públicas.

 

Sonora

 

A afirmação de Guimarães se refere à suspensão da linha do Programa Minha Casa Minha Vida, que repassa recursos para organizações sociais construírem e distribuírem habitações.

 

O governo anunciou que voltaria atrás na sua decisão, mas ainda não desbloqueou os recursos referentes a esta linha.

 

Durante o protesto, ainda em Copacabana, um veículo do jornal O Estado de São Paulo foi danificado: um manifestante sozinho, exaltado, chutou as duas portas do carro, do lado do motorista e mala do carro.

 

Um registro por dano ao patrimônio foi feito na 12ª Delegacia de Polícia.

 

A PM informou que não houve outros registros de violência até a dispersão do ato.

 

 

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique