MPF pede condenação e fim dos benefícios de delação de ex-diretor da Petrobras

01:42 Política, Notícias 17/02/2017 - 11h30 Brasília Embed

Danyele Soares

O Ministério Público Federal (MPF) pediu a condenação e a suspensão dos benefícios da colaboração premiada do ex-diretor da área de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.


Os procuradores afirmam, no pedido ao juiz Sérgio Moro, que Paulo Roberto mentiu na delação. 


O Ministério Público também alega que há inconsistências nas declarações dos outros réus no mesmo processo: as duas filhas de Paulo Roberto, Ariana e Shanni Azevedo Costa Bachmann, e o genro, Marcio Lewkowicz. Eles são acusados de tentarem ocultar provas. 


No documento, os procuradores dizem que há diversas contradições e omissões por parte dos acusados. O ex-diretor da Petrobras foi condenado por mandar seus parentes irem ao escritório dele para retirar documentos e dinheiro, quando foi deflagrada uma das fase da Lava Jato.


Ele foi condenado por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Paulo Roberto Costa assinou acordo de colaboração. Nessas delações, ele revelou como funcionava o esquema de corrupção da estatal.

 

* Áudio atualizado às 14h40 de 17/02/2017 para acréscimo de informações.