Temer admite mais alterações na reforma da Previdência e se defende de delação da Odebrecht

02:29 Política, Notícias 18/04/2017 - 00h09 Brasília Embed

Kariane Costa

O presidente Michel Temer admitiu nessa segunda-feira a possibilidade de reduzir no texto da reforma da previdência o tempo de contribuição para as mulheres se aposentarem.

 

A declaração foi dada em entrevista exclusiva ao canal de televisão, SBT.

 

Questionado sobre o anúncio da defesa da ex-presidente Dilma Rousseff de que vai usar um trecho de outra entrevista concedida por Temer para sustentar a tese de que o deputado cassado Eduardo Cunha agiu por vingança na abertura do pedido de impeachment, o presidente disse não ter dúvidas de que o processo contra Dilma teria sido aprovado mesmo sem o apoio de Cunha.

 

Temer disse ainda que não se preocupa com uma possível delação de Eduardo Cunha e voltou a negar qualquer negociação indevida relacionada a doações ao PMDB.

 

Na entrevista, o presidente disse desconhecer o nome de Márcio Faria, executivo da Odebrecht com quem se reuniu em 2010, e que acusou o presidente de ter intermediado o pagamento de R$ 40 milhões em propina ao PMDB.

 

Temer reafirmou que o Brasil não pode parar por conta das delações.

 

Ainda durante a entrevista, Michel Temer voltou a negar que esteja participando de um acordão com os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso para amenizar os efeitos da Lava Jato no cenário político brasileiro.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique