Votação da reforma política é adiada para ampliar acordos

02:14 Política, Notícias 08/08/2017 - 21h33 Brasília Embed

Lucas Pordeus Leon

A comissão especial da reforma política adiou para essa quarta-feira a votação do relatório do deputado Vicente Cândido, do PT.

 

A sessão foi adiada para que os partidos tenham mais tempo para debater e chegar a um acordo. Entre as propostas, está a criação de um Fundo Eleitoral, com dinheiro público para substituir a doação empresarial, proibida pelo Supremo. Estima-se que o fundo custe cerca de R$ 3,5  bilhões para 2018.

 

Também se discute o tipo de sistema eleitoral: manter o atual ou mudar para o "distritão", com eleição majoritária para todos os parlamentares, ou o distrital misto, com metade dos deputados e vereadores eleitos por votação majoritária divida por distritos e outra metade eleita por lista fechada dos partidos.

 

O deputado do PSB Júlio Delgado critica o valor do financiamento público.

 

O deputado Danilo Fortes, do PSB, argumenta que vai ser preciso achar um novo financiamento já para 2018.

 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, destacou que vai defender um modelo de transição para o próximo ano.

 

Maia espera votar a reforma política ainda em agosto. Outros temas em análise são o fim da coligação para eleições de deputados e vereadores e a cláusula de barreira, para limitar o acesso de partidos pequenos ao Fundo Partidário.

Dê sua opinião sobre a qualidade do conteúdo que você acessou.

Para registrar sua opinião, copie o link ou o título do conteúdo e clique na barra de manifestação.

Você será direcionado para o "Fale com a Ouvidoria" da EBC e poderá nos ajudar a melhorar nossos serviços, sugerindo, denunciando, reclamando, solicitando e, também, elogiando.

Denúncia Reclamação Elogio Sugestão Solicitação Simplifique