STF rejeita pedido de suspeição de Rodrigo Janot em ações envolvendo Temer

01:02 Política, Notícias 13/09/2017 - 17h39 Brasília Embed

Victor Ribeiro

Por unanimidade o plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu manter o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, à frente dos casos envolvendo o presidente Michel Temer. 

 

O relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, ministro Edson Fachin, votou pela rejeição do pedido para afastar procurador-geral da República Rodrigo Janot dos casos envolvendo o presidente Michel Temer. Fachin chegou a ler o Regimento Interno do Supremo para dizer as regras de impedimento e suspeição se aplicam apenas aos ministros da Corte e não ao procurador-geral.

 

Os ministros Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Luiz Fux, Antônio Dias Toffolli, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e a presidente da Corte, Carmém Lúcia, acompanharam o relator.

 

Os ministros Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes não participaram da sessão plenária, mas Gilmar Mendes estava no Supremo. O ministro acompanhou o julgamento no gabinete.

 

A defesa do presidente Temer pediu que Rodrigo Janot fosse considerado suspeito, porque teria demonstrado parcialidade e usaria o cargo para perseguir Michel Temer.